27 de abril de 2009

aí vem ele. o ódio oculto no fundo dos olhos que brilham em êxtase. queria era que o mundo girasse mais depressa. queria era poder enxergar através de cada código dessa vida miserável e prolongada. roubar qualquer motivo que exista e qualquer sentido barato. barato foi o preço das ideias. que ideias? queria mesmo era apagar cada desgraçado que cruzasse o dele. eles não fazem falta, eu não faço falta nesse fim de mundo grande demais. que a morte de um é tragédia, e a de vários é só estatística.

5 comentários:

  1. O ódio fala por si (re)agindo aos outros...
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Caramba meu! Um milhão de anos que eu fiquei de comentar mas daí nem deu @_@ Mas inda dô uma olhada a cá de vez enquando.
    Convalescendo ando com tempo de sobra pra fazer as coisas, só n consigo dormir . . .
    Bjsss!

    ResponderExcluir
  3. ódio
    oh dio mio
    vem de deus
    por isso tão forte, intenso,
    bom pra ter no cinto de utilidades.

    estou na espreita.
    um grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
    PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

    ResponderExcluir